top of page

Madrigal Ars Viva - 50 anos






































LEMBRANÇAS


Conheci o Madrigal Ars Viva pelo Gil e o Victor, colegas da faculdade que faziam parte do coro. Por eles, conheci o Sergio, o João, o Shiomi, o Roberto, o Miguel, o Marzo, a Ema, a Tereza, a Carmen, a Mariinha, a Sílvia, o Chagas, o Guaraci, a Neide, a Neidinha, a Maria Luiza, a Lolô, a Martha, o Ângelo, a Judith, o Barja, o Milton, o Gilberto, a Ula, o Klaus.


Depois, quando entrei para o naipe dos contraltos, encontrei outros amigos, a Marlene, a Valdete, a Lígia, a Anna Ângela, o Sinésio, o Maurílio, a Margarida, a Malu, a Raquel, o Lísias, a Rosa, o Bira, o Brás, a Marília, a Vera, a Priscilla, a Cristina, o Marquinhos, o Fernando, a Hercília, o Hercílio. Também já estavam cantando no madrigal a Ângela e o Gilio, meus amigos da faculdade.


Não fiquei muito tempo no coro, mas continuei acompanhando o trabalho. Que me possibilitou conhecer os autores anônimos da Idade Média, Machaut, Josquin, Adam de La Halle, Landini, Ockeghem, Juan del Encina, Pe. José Maurício, Palestrina, Luca Marenzio, Villa Lobos, Orlando Di Lasso, Jannequin, Ramón Barce, Juan Hidalgo, Gilberto Mendes, Almeida Prado, Roberto Martins, Rodolfo Coelho de Souza, Ulisses Mansur, Gil Nuno Vaz, André Ribeiro.


Assim conheci a música medieval, renascentista, teatro musical, a música nova, o festival. Com o Madrigal Ars Viva conheci a música.


Salve Cinquentão!!!


Inês Cruz











Comentários


bottom of page