top of page
bloco_inferior_gnv_02.jpg

o texto

cruzado

sentido

de um enredo

Slide3.JPG

ONDAS DO MAR DE VAGAS

 

Ondas do mar de vagas

Se vistes por quais plagas

Se foi meu amigo oculto

Mar que nas ondas vagas

Se o viste cedo o tragas
Se for meu amado o vulto

ONDAS DO MAR DE VAGAS

letra Gil Nuno Vaz

música Theo Cancello

(sobre concepção original de Gil Nuno Vaz)

Canto Denise Yamaoka (a gravar)      Flauta Daniel Cancello

  Teclado, percussão, cordas Theo Cancello 

santos_luzes_edited_edited_edited_edited

CANTOS CORRENTES é uma trama ficcional em que protonautas espectrais navegam pelas desconhecidas ondas do mar de vagas sensoriais: as diferentes realidades perceptuais do universo. As rotas são traçadas e monitoradas por uma comunidade de confeccionistas arquitexturais, em antiga praça perto do porto de Santos, a partir de duas plataformas clandestinas de operação. Uma dissimulada em alfaiataria, outra em cinema.

Dois auditores fiscais encontram, nos lançamentos contábeis da alfaiataria, indícios de estranhas transações, que suspeitam ter relação com o guarda-livros responsável pela escrituração, e com suas constantes idas ao cinema.

 

A investigação apura que o controle das transações é feito por um mapa criptografado, em apropriação imaginária do cenário urbano. Os canais da cidade, qual coordenadas da insólita cartografia, ocupam as nove casas do formato de ancestral passatempo: o tradicional jogo da velha.

​​

Nesse misterioso jogo, da velha Vila Belmiro ao porto ancorado em praça pública, os protonautas zarpam em busca de novas vilas, no universo das realidades perceptuais. E os auditores entram no jogo com o desafio de decifrar os códigos do Plano de Contas da alfaiataria e reconfigurar o livro de Contas Correntes em CANTOS CORRENTES.

CC_Cine_Ines_vinculo.jpg

CANTOS CORRENTES:

uma obra arquitextural dobra,

em inex-haurível-fólio,

cinemáticos jogos de e-pergaminhos nos paços de CINE INÊS.

Quasi una fantasia, uma sinfonia inacabável, inconcluível confecção à feição de uma ficção-científica autobiográfica.

O jogador que marca o círculo lança a dicção do verbo que erra no princípio, em 26 raízes alfabéticas de acesso à velha vila.

Um novo jogo da velha relação entre arte e vida.

O jogador que marca o xis lança a ficção do livro de faz-de-contas correntes, em 9 canais náuticos de acesso a novas vilas.

bottom of page