top of page

Obras Estresidas (composições)


Obras Estresidas, expressão que pode se contrapor a Obras Reunidas, quase que no avesso do significado desta, é o conceito que agrega todos os conteúdos próprios de Cantos Correntes interpretados, publicados e/ou editados por outros agentes e meios de comunicação.


Esse conjunto é desmembrado por modalidades artísticas, como música, poesia, ensaios, artigos e outras rubricas.


Nesta publicação, relaciona todas as composições musicais estreadas, gravadas ou editadas.




CANÇÃO DO EXÍLIO SEM PALAVRAS (1991)

piano e cena

estréia: Terão Chebl

Santos, 09/10/91 (III Bienal Nacional de Santos)


CHORUS (BIS) sobre canção de Pixinguinha e Índio (1987)

coro misto a 4 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 29/09/87 (XXIII Festival Música Nova)


COSTA MATER (2007)

orquestra, coro misto e quarteto vocal

gravação em 2008 para a trilha sonoro do espetáculo A Fundação da Vila de São Vicente São Vicente, janeiro de 2008.


DIZ QUE TEM (1986) - sobre canção de Vicente Paiva e Anibal Cruz

coro misto

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 30/08/86 (XXII Festival Música Nova)


canto e piano

estréia: Crislaine Michelazzo (soprano)e Nando Sange (pianista)

Cubatão, 08/10/2020 (ETMD Ivanildo Rebouças da Silva


es tu do es tu do (1990-rev. 1996)

poema: L.C.Vinholes

coro misto a 4 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 25/08/90 (XXVI Festival Música Nova)

GOETHOVEN (1977)

narrador, dois pianistas-atores, fita, grupo de atores, cantora

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 09/10/77 (XIII Festival Música Nova)


GRAFITO (1985) com Gilberto Mendes e Roberto Martins

poema: José Paulo Paes

cena e fita

estréia: Madrigal Ars Viva - cena de Gilio Melo

S.Paulo, 24/08/85 (Festival Música Nova)


HAICAI (1972)

poema: Gil Nuno Vaz

grupo vocal e percussão

estréia: Quorum

Santos, 1972 (III FeMPo - Festival da Música Popular da Baixada Santista)


LIÇÃO DO PÓ (1985)

poema: Gil Nuno Vaz

coro em uníssono e percussão

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

S.Paulo, 24/08/85 (Festival Música Nova)


LUZ MEDITERRÂNEA (1978)

poema: Gil Nuno Vaz

coro misto e instrumentos

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins), Ewerton Gloeden (violão), Hersília de Araújo Duarte (violino), Wilson Mello (flauta) e Gil Nuno Vaz (bandolim)

S.Paulo (MASP), 23/09/78 (Compositores Brasileiros - Primeiras Audições)

LUZ MEDITERRÂNEA (1979) poema: Gil Nuno Vaz

coro misto e instrumentos

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins), Ewerton Gloeden (violão), Hersília de Araújo Duarte (violino), Wilson Mello (flauta) e Gil Nuno Vaz (bandolim)

Santos, 1979

MOTETO E GLOSAS (1976)




poema: Gil Nuno Vaz

canto, clarinete e piano

estréia: Eladio Pérez-González, Walter Alves de Souza e Berenice Menegale

Belo Horizonte, 20/06/86 (III Ciclo de Música Contemporânea)


OS CORALEIROS (1978)

poema: Gil Nuno Vaz

coro misto a 4 vozes


O VÔO LIVRE DA MÚSICA, ALÉM DA BARREIRA DO SOM (1985)

texto: Gil Nuno Vaz

cena e fita

estréia: Madrigal Ars Viva - cena: Gil Nuno Vaz e Roberto Martins

S.Paulo, 24/08/85 (Festival Música Nova)


PEÇA RECICLADA N. 1 (1995)

orquestra sinfônica

estréia: Orquestra Sinfônica Municipal de Santos (reg. Luís Gustavo Petri)

Santos, 15/07/95 (Teatro Municipal)


PRENASCENÇA (1978) - Paralaxe

poema: Gil Nuno Vaz (Colombo)

canto e quarteto de cordas

estréia: Heloisa Castellar Petri e Quarteto Martins Fontes

Santos, 17/10/78 (XIV Festival Música Nova)


REBOLE A BOLA (1980)

coro infanto-juvenil a 3 vozes

poemas: Gil Nuno Vaz, e textos de canções e jogos infantis


REQUIEM (1981)

poema: Raul de Leoni (Transubstanciação) e texto litúrgico

coro misto e declamador

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins) e Nélia Silva

Santos, 06/09/81 (XVII Festival Música Nova)


SAMBA-EXALTAÇÃO (1982) - variação encomiástica sobre poema de Carlos Drummond de Andrade

poema: Gil Nuno Vaz e citações diversas

coro misto

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 27/08/82 (XVIII Festival Música Nova)


UM DIA DO HOMEM (1984)

poema: Jorge Luis Borges

coro misto a 2 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

S.Paulo, 18/08/84 (Festival Música Nova)


WASSERHAHNMUSIK (1973)



XE TUPI (2007) ZUM ZUM SEEBLICK



ORQUESTRA


PEÇA RECICLADA N. 1 (1995)

orquestra sinfônica

estréia: Orquestra Sinfônica Municipal de Santos (reg. Luís Gustavo Petri)

Santos, 15/07/95 (Teatro Municipal)


CÂMARA


PRENASCENÇA (1978) - Paralaxe

poema: Gil Nuno Vaz (Colombo)

canto e quarteto de cordas

estréia: Heloisa Castellar Petri e Quarteto Martins Fontes

Santos, 17/10/78 (XIV Festival Música Nova)


O MUSEU DE IMAGENS DO INCONSCIENTE FICA NO ENGENHO DE DENTRO (1986)

poema: Gil Nuno Vaz

canto, clarinete e piano

estréia: Eladio Pérez-González, Walter Alves de Souza e Berenice Menegale

Belo Horizonte, 20/06/86 (III Ciclo de Música Contemporânea)


CANÇÃO DO EXÍLIO SEM PALAVRAS (1991)

piano e cena

estréia: Terão Chebl

Santos, 09/10/91 (III Bienal Nacional de Santos)


VOCAL


REQUIEM (1981)

poema: Raul de Leoni (Transubstanciação) e texto litúrgico

coro misto e declamador

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins) e Nélia Silva

Santos, 06/09/81 (XVII Festival Música Nova)


ACRÓSTICO PARA GUIDO D'AREZZO (1981)

poemas: Diácono Paulo e Gil Nuno Vaz

coro misto

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 13/08/88


LUZ MEDITERRÂNEA (1978)

poema: Gil Nuno Vaz

coro misto e instrumentos

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins), Ewerton Gloeden (violão), Hersília de Araújo Duarte (violino), Wilson Mello (flauta) e Gil Nuno Vaz (bandolim)

S.Paulo (MASP), 23/09/78 (Compositores Brasileiros - Primeiras Audições)



MULTIMEIOS


RECREIO (1972)

- Sígneo I, Ion, Sígneo II -

citações diversas

vozes, projeção de textos, cena e percussão, participação do público

estréia: Quorum

Santos, 19/08/73 (IX Festival Música Nova)


H20 (1973)

audiovisual (fita e projeção de imagens)

estréia: Quorum

Santos, 19/08/73 (IX Festival Música Nova)


GOETHOVEN (1977)

narrador, dois pianistas-atores, fita, grupo de atores, cantora

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 09/10/77 (XIII Festival Música Nova)


5.2- Relação Complementar


GRAVITANDO (1970- rev. 1996)

poema: Gil Nuno Vaz

coro misto a 4 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Klaus-Dieter Wolff)

Santos, 22/07/7l (VII Festival Música Nova)


SEIS POEMAS (1972)

3.Ptyxbômbix

(dois poemas,de Carlos Drummond de Andrade e Gil Nuno Vaz)

2.Optandem

(dois poemas, de Álvaro de Sá e Gil Nuno Vaz)

1.

(dois poemas de e.e.cummings)

trio vocal, fita e cena

estréia: Quorum

Santos, 19/08/73 (IX Festival Música Nova)

Obs.- estréia parcial de 1. (dois poemas de e.e.cummings): Madrigal Ars Viva (reg. Klaus-Dieter Wolff), solo Ula Wolff , Santos, 09/09/72 (VIII Festival Música Nova)


PARTITURA (1974)

cena, projeção de imagens (desenhos: Luiz Monforte e Inês Teixeira), textos (poemas de Gil Nuno Vaz e Hugo Leal, citações), exposição de artes plásticas

estréia: Quorum

Santos, 29/09/74 (X Festival Música Nova)


PARALAXE ZERO (1974) - Preângulo

poema: Gil Nuno Vaz (Pluripétalo)

vozes, piano e percussão

estréia: Quorum

Santos, 29/09/74 (X Festival Música Nova)



CONTINENTEÚDO (1974)

poema: Gil Nuno Vaz

octeto vocal misto

estréia: Som-a-Pino (reg. Mara Campos)

São Paulo, --/--/87 (XIX Bienal Internacional de S.Paulo)


SONDA DE ECO (1974)

texto-partitura, livro em três capítulos: Véu - Vau - Vão

poemas: Gil Nuno Vaz e textos manuscritos

formações vocais diversas

Revista Artéria n. 0 (janeiro/90) publicação resumida


CANTATA (1974)

poemas de livre escolha

formações vocais diversas


CONNECTICUT (1974) - homenagem a Charles Ives

formações instrumentais diversas


LUGARES COMUNS (1975)

formações instrumentais diversas


PRELÚDICO (1975)

formações vocais e/ou instrumentais diversas


PEÇA CARACTERÍSTICA (1975)

solista vocal ou instrumental, ou conjunto vocal e/ou instrumental


MOTETO E GLOSAS (1976) - Paralaxe de Canções e de Gestos

poema: Gil Nuno Vaz e citações diversas

regente, fita e projeção de imagens

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 27/11/76


OS CORALEIROS (1978)

poema: Gil Nuno Vaz

coro misto a 4 vozes


REBOLE A BOLA (1980)

coro infanto-juvenil a 3 vozes

poemas: Gil Nuno Vaz

textos de canções e jogos infantis


SAMBA-EXALTAÇÃO (1982) - variação encomiástica sobre poema de Carlos Drummond de Andrade

poema: Gil Nuno Vaz e citações diversas

coro misto

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 27/08/82 (XVIII Festival Música Nova)


UM DIA DO HOMEM (1984)

poema: Jorge Luis Borges

coro misto a 2 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

S.Paulo, 18/08/84 (Festival Música Nova)


GRAFITO (1985) com Gilberto Mendes e Roberto Martins

poema: José Paulo Paes

cena e fita

estréia: Madrigal Ars Viva - cena de Gilio Melo

S.Paulo, 24/08/85 (Festival Música Nova)


O VÔO LIVRE DA MÚSICA, ALÉM DA BARREIRA DO SOM (1985)

texto: Gil Nuno Vaz

cena e fita

estréia: Madrigal Ars Viva - cena: Gil Nuno Vaz e Roberto Martins

S.Paulo, 24/08/85 (Festival Música Nova)


LIÇÃO DO PÓ (1985)

poema: Gil Nuno Vaz

coro em uníssono e percussão

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

S.Paulo, 24/08/85 (Festival Música Nova)


DIZ QUE TEM (1986) - sobre canção de Vicente Paiva e Anibal Cruz

coro misto

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 30/08/86 (XXII Festival Música Nova)


CHORUS (BIS) sobre canção de Pixinguinha e Índio (1987)

coro misto a 4 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 29/09/87 (XXIII Festival Música Nova)


es tu do es tu do (1990-rev. 1996)

poema: L.C.Vinholes

coro misto a 4 vozes

estréia: Madrigal Ars Viva (reg. Roberto Martins)

Santos, 25/08/90 (XXVI Festival Música Nova)










Comments


bottom of page